NOTÍCIAS



11/24/2020

Aplicações de membranas na filtração para tratamento de água, efluentes e reúso



A diversidade de aplicações, novas tecnologias, escassez de recursos naturais são fatores que fortalecem a utilização e papel das membranas, principalmente no reúso de efluentes.
 
A filtração por membranas, tecnologia que usa membranas como barreira seletiva que filtra as partículas líquidas ou retém moléculas de tamanho e peso molecular maior que o diâmetro dos poros, tem como uma das principais vantagens o fato de possibilitar que nem todo fluido que alimenta o sistema atravesse a membrana, evitando, assim, entupimento. Foi como o Eng. Civil Maurício Costa Cabral, Mestre em Saneamento e Pesquisador do Centro Internacional de Referência no Reúso de Água (CIRRA), iniciou o “Abra Talks”, evento da Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas – Automotivos e Industriais, realizado no dia 12 de novembro, quando apresentou o tema “Aplicação da tecnologia de membranas para tratamento de água, efluentes, e reúso de água”.
 
O engenheiro explicou que o fluxo no processo de separação por membranas pode ser perpendicular ou tangencial e que são produzidas duas correntes, o concentrado e o permeado ou purificado. Destacou também os principais tipos de membranas: microfiltração, ultrafiltração, nanofiltração e osmose reversa. 
 
Entre as necessidades atuais para aplicação dos processos de separação por membranas citou alguns fatores, como as restrições legais e o aumento da demanda de água e a redução da oferta. “A crescente escassez de recursos hídricos, aliada às novas restrições legais tem conduzido à busca por fontes alternativas de abastecimento, como águas salobras e salinas e o reúso de efluentes”, afirmou Cabral, enfatizando que o interesse pelo reúso de efluentes tem aumentado expressivamente. 
 
Há também pressões de mercado pelo uso de novas tecnologias. “Nos sistemas convencionais, o retorno do investimento em P&D não é atraente, pois é preciso investir muito para um ganho irrisório de inovação”, comentou o engenheiro, demonstrando a importância do investimento em novas tecnologias.
 
O engenheiro comparou processos de separação por membranas com outras tecnologias de tratamento. No caso de remoção de turbidez, sólidos suspensos e bactérias, no sistema convencional citou coagulação, floculação, filtração e desinfecção e na separação por membranas, a microfiltração. Já em sais dissolvidos, no sistema convencional apontou evaporação e troca iônica e na separação por membranas, a osmose reversa.
 
Ao final da apresentação, falou também sobre a permeabilidade os principais tipos de membranas: microfiltração - 15 a 60 litros por m² por hora; ultrafiltração – 25 a 50; nanofiltração – 20 a 30; e osmose reversa – 15 a 25. 
 
Para o presidente da Abrafiltros, João Moura “é importantíssimo trazer para o debate os caminhos e avanços desse segmento, principalmente pelo fato de as membranas serem fundamentais nos processos que envolvem a filtração”.
 
O “Abra Talks”, realizado pela plataforma zoom, foi dividido em três momentos, de 30 minutos. Antes da apresentação de Maurício foi a vez do Gerente de Vendas Distribuição Industrial e Filtration SAM, Bosch Rexroth José Roberto Pereira Piccolo, abordar o tema “Níveis de filtragem recomendados para o controle de contaminação em sistemas hidráulicos”. E para necerrar a programação do dia, tivemos o Prof. Dr. Sergio Humberto, Membro do Instituto Mackenzie de Pesquisas Avançadas em Grafeno e Nanotecnologias – MackGraphe que trouxe o tema “Grafeno e Filtros Automotivos: Possibilidades de aplicação”. Vale destacar que o conteúdo apresentado será disponibilizado na integra somente para associados da Abrafiltros.
 
Sobre a Abrafiltros:
Criada em 2006, a Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas – Automotivos e Industriais – tem a missão de promover a integração entre as empresas de filtros e sistemas de filtração para os segmentos automotivo, industrial e tratamento de água e efluentes – ETA e ETE, representando e defendendo de forma ética os interesses comuns e consensuais dos associados.
 
Mais informações:
Verso Comunicação e Assessoria de Imprensa
www.versoassessoriadeimprensa.com.br

associados