NOTÍCIAS



11/17/2020

Aplicações do grafeno no setor automotivo inclui filtros



No filtro de óleo, o grafeno poderia trazer resistência química, impermeabilidade, flexibilidade e dissipação do calor na válvula antirretorno, by-pass e anel de vedação, entre outros benefícios.

Composto de monocamada de átomos de carbono, o grafeno é um material, fino, resistente, leve, quase transparente, condutor elétrico e adsorvente e, por possuir todas estas propriedades, ele pode ser utilizado em diversas aplicações. “O grafeno é um milhão de vezes mais fino que um fio de cabelo, é aproximadamente 200 vezes mais forte que o aço, um metro quadrado de grafeno pesa aproximadamente 0,77 mg, uma camada de grafeno absorve pouco mais que 2% da luz, sendo praticamente invisível a olho nu, e dez vezes melhor condutor térmico que o cobre”, ressaltou o Prof. Dr. Sergio Humberto Domingues, membro do Centro de Pesquisa Avançadas em Grafeno, Nanomateriais e Nanotecnologia do MackGraphe, no “Abra Talks”, evento da Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas – Automotivos e Industriais,  realizado no dia 12 de novembro, com o tema “Grafeno e Filtros Automotivos: Possibilidades de Aplicação”.

Domingues explicou que, no setor automotivo, o grafeno pode ser usado em diversos componentes, entre eles, tapeçaria, pintura, itens elétricos, pneus, freios, sensores, baterias, capacitores, fluidos lubrificantes e também em filtros. No elemento filtrante do óleo, a adsorção de grafeno ao papel poderia elevar a capacidade de retenção de material, bem como sua resistência. “A variação na funcionalização química do grafeno e do papel poderia gerar uma seletividade no material que ficaria retido ou não no papel”, comentou. Já na válvula antirretorno, by-pass e anel de vedação do filtro de óleo, ocasionaria resistência química, impermeabilidade, flexibilidade e dissipação do calor. “Recobrindo a caneca ou copo com óxido de grafeno reteria componentes polares na parede, evitando corrosão”, disse.

Segundo Domingues, ainda há muitas possibilidades a serem exploradas visando melhorar as propriedades dos filtros. “Agregaria valor ao produto”, completou.

Para o presidente da Abrafiltros, João Moura “o grafeno já é uma realidade e deve ser cada vez mais aproveitado pelo setor de filtração, não só no segmento automotivo, mas também no setor industrial”.

O “Abra Talks”, realizado pela plataforma zoom, foi dividido em três momentos, de 30 minutos. Antes da apresentação do Prof. Dr. Sergio Humberto, tivemos a participação do Gerente de Vendas Distribuição Industrial e Filtration SAM, Bosch Rexroth José Roberto Pereira Piccolo, que abordou o tema “Níveis de filtragem recomendados para o controle de contaminação em sistemas hidráulicos”. Em seguida, foi a vez de Maurício Costa Cabral, Eng. Civil, Mestre em Saneamento - Pesquisador do Centro Internacional de Referência no Reúso de Água (CIRRA), apresentar o tema “Aplicação da Tecnologia de membranas para tratamento de água, efluentes e reúso de água”. Vale destacar que o conteúdo apresentado será disponibilizado na integra somente para associados da Abrafiltros.

Sobre a Abrafiltros:
Criada em 2006, a Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas – Automotivos e Industriais – tem a missão de promover a integração entre as empresas de filtros e sistemas de filtração para os segmentos automotivo, industrial e tratamento de água e efluentes – ETA e ETE, representando e defendendo de forma ética os interesses comuns e consensuais dos associados.
 
Mais informações:
Verso Comunicação e Assessoria de Imprensa
www.versoassessoriadeimprensa.com.br

associados